06/02/2020

10 Hábitos alimentares que você deveria evitar

Comer é uma delícia! Mas quando a gente sabe o que está fazendo, é muito melhor. Não há nada mais prazeroso do que entender o próprio corpo, sair do automatismo e começar a se alimentar de forma mais funcional e eficiente. Nada também mais natural do que isso!

E para espalhar um pouco desse conhecimento e ajudar cada um a encontrar o seu bem estar, a Belnatur listou 10 hábitos alimentares que podem sugar a nossa saúde e atrapalhar o bom funcionamento de todo o nosso organismo.

1. Comer rápido demais
Não mastigar suficientemente os alimentos pode comprometer a digestão dos nutrientes e ainda causar complicações gastrointestinais. A amilase presente na saliva é essencial para quebrar os carboidratos e a ação mecânica dos dentes faz com que proteínas e fibras sejam reduzidas em partes menores.

Sabe aquela azia, má digestão ou sensação de peso após uma refeição? Pode muito bem ser resultado da pressa e desatenção na mesa. Por isso, trate sua alimentação como um momento sagrado e lembre-se sempre que a digestão começa na boca

2. Tomar (muito) líquido durante as refeições
Além de despotencializar o funcionamento das enzimas presentes na saliva quando tomados no meio da mastigação, os líquidos podem causar também uma sensação de estufamento. Isso acontece porque eles diluem os ácidos estomacais e, consequentemente, diminuem a sua ação química.

Se você tiver problemas de salivação ou realmente sentir a necessidade de tomar algo enquanto come, opte por uma pequena quantidade (no máximo 100ml) de água ou algum suco natural.

Obs: é comum ouvir dizer que refrigerantes e água com gás ajudam na digestão, mas isso não passa de um mito. Os gases podem apenas agravar ainda mais a situação, a troco da grande quantidade de calorias vazias que os refrigerantes oferecem.

3. Comer “porcarias”
E por falar em refrigerantes… Não é preciso nem alertar sobre os riscos do excesso do açúcar para a saúde, não é mesmo? Grande parte das pessoas continua a comer cotidianamente alimentos reconhecidamente nocivos, por comodismo ou automatismo. Se você inclui muitos industrializados em sua dieta, cheios de sódio e gorduras saturadas, pare para pensar se esse é um prazer que você realmente quer ou precisa e se o trocaria pela sua saúde.

Isso não quer dizer, entretanto, que você deva parar completamente de comer doces ou cortar o açúcar. Afinal, todo mundo conhece aquela famosa vontade de comer um doce após as refeições. É normal e até saudável que você coma algumas porções de açúcar no seu dia. Mas, se puder, opte por frutas ou guloseimas menos calóricas em pequenas quantidades.

4. Não tomar água o suficiente (ou tomar até demais)
Muitas pessoas comem demais por falta de água. Por incrível que pareça. Se alguma vez se sentir de estômago vazio, mesmo tendo se alimentado bem e em um horário que diferente da sua refeição, experimente tomar ao menos 300 ml de água. Isso ajuda a encher o estômago e criar uma sensação maior de saciedade.

Exatamente por isso, evite também o excesso de líquidos, especialmente nos 30 minutos antes do seu lanche ou refeição. Forçar a comida quando empanturrado de água ou de outras refeições sem dúvidas causará desconfortos gástricos e minará a absorção do alimento quando ele chegar no intestino.

5. Comer até ficar estufado ou de estômago cheio
Estar empanturrado realmente não é uma boa ideia nunca. Pelo contrário, não se sentir completamente cheio é normal, especialmente nos primeiros minutos após a refeição, quando o corpo ainda está assimilando o que foi mastigado.

Liberte-se do vício de comer demais e do medo de achar que sentirá fome cedo se não estiver com o estômago completamente cheio. A satisfação virá do consumo dos alimentos certos e das calorias na quantidade que o seu corpo precisa. Se tem alguma dúvida quanto a essa quantidade e quanto ao que comer, procure um nutricionista.

6. Comer logo antes de dormir ou se exercitar
Hábitos alimentares também podem influenciar em outras questões da nossa vida. O sono é uma delas. É possível até mesmo que você já tenha reparado como estar estufado pode atrapalhar na hora de dormir. E quanto mais pesado e de difícil digestão é o alimento, pior é o descanso.

Fuja completamente desse hábito. Planeje sua rotina de forma a comer sempre 2 ou 3 horas antes de se deitar ou de fazer exercícios. O corpo gasta muita energia para digerir e isso pode comprometer diversas outras funções básicas do organismo e causar desconfortos.

7. Desjejuar com carboidratos
Quando estamos há muito tempo sem comer, o corpo começa a reagir de forma diferente. Os níveis hormonais se alteram e o intestino fica mais preparado para receber os alimentos que estão por vir. Ao ingerir carboidratos (especialmente os de alto índice glicêmico) neste estado, o corpo libera uma resposta insulínica maior, o que faz com que a glicose seja absorvida rapidamente e se transforme em gordura.

Seja no café da manhã ou caso você tenha pulado uma refeição, evite comer alimentos como doces e farinha branca. Por incrível que pareça, alimentos ricos em gordura insaturada, como sementes, nozes e castanhas, são os mais indicados nessa hora. Carboidratos de baixo índice glicêmico, com moderação, também não farão mal.

8. Ter uma refeição desequilibrada
Existem dois erros gravíssimos na hora de se alimentar: o exagero e a falta. Mas não se engane: não é só na gordura e nos carboidratos que se peca pelo excesso ou nos micronutrientes, fibras e proteínas que se peca pela falta. Os contrários também são muito comuns e igualmente prejudiciais.

Se você cortar gorduras e carboidratos em excesso pode, não apenas sentir uma falta de energia no seu dia a dia, como também ver funções básicas do seu organismo comprometidas, incluindo a absorção de outros nutrientes. Da mesma forma, o excesso de proteínas pode prejudicar o bom funcionamento do fígado e o exagero nas fibras pode atrapalhar o trabalho estômago.

Deu pra entender a importância de um bom nutricionista, não é mesmo?

Falamos um pouco mais sobre isso no artigo “A importância do equilíbrio nas refeições”.

9. Comer muita carne
Como todos já sabem, carnes são repletas de proteínas. Mas contam também com muitos outros micro e macronutrientes que podem ser prejudiciais quando em excesso. Elas aumentam o colesterol LDL, os níveis de ácido úrico e gorduras no sangue.

A carne vermelha também é responsável por diversos processos inflamatórios e aumenta os riscos de câncer no intestino, como aponta este artigo do Instituto Oncoguia. Portanto, considere reduzir a ingestão desses alimentos durante a semana. Uma boa dica é guardar a vontade para o churrasco do fim de semana.

10. Comer alimentos processados e embutidos
Se com a carne você já deve ter moderação, desses é melhor passar longe. Alimentos prontos e embutidos, como salsichas, presuntos, mortadelas, linguiças e salame são um verdadeiro perigo, dada a quantidade de gorduras saturadas, sódio e outros inúmeros micronutrientes danosos a médio ou longo prazo.

A própria Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou esse grupo de alimentos – por incrível que pareça – como cancerígenos. A decisão de classificação veio embasado em mais de 800 artigos de pesquisas, conforme indica a Organização das Nações Unidas (ONU) Brasil, nesse artigo publicado.

Em meio à rotina corrida ou por puro desconhecimento, pode ser que acabemos por fazer coisas que minam a boa nutrição. E isso é completamente normal. Se estamos desconectados e inconscientes desse aspecto, podemos acabar cometendo erros. Por isso, aprenda a ouvir o seu corpo!

Essa lista tem o objetivo único de ajudar cada internauta identificar as possíveis causas de seus desconfortos e conscientizar sobre como ter uma saúde melhor. Aliando estes conhecimentos à auto observação, as causas de alguns problemas de ordem fisiológica podem ficar muito mais claras em sua rotina.

A Belnatur sugere que cada um procure um nutricionista e busque se informar ainda mais. Se você quer continuar lendo sobre alimentação e dicas cotidianas, existem outros textos em nosso blog. Fique à vontade para navegar e conhecer ainda mais. Acesse nossa loja online

Sugerimos para você também os seguintes artigos:

Como consumir açúcar – Clique aqui
O que é alimentação inclusiva? Clique aqui
Hábitos diários que auxiliam na sua saúde – Clique aqui